Mercado livreiro em alta: venda de livros cresce em 2017

Publicado em 23 de Janeiro de 2018

O ano de 2017 trouxe bons resultados para o mercado de livros. É o que mostra o Painel das Vendas de Livros no Brasil, divulgado nesta sexta (19) e realizado pela Nielsen Bookscan Brasil, em parceria com o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL).

A pesquisa mostra que houve aumento do faturamento em 6,15% nas vendas de livros entre 2016 e 2017, o equivalente a cerca de R$ 100 milhões. Se avaliarmos em termos de volume, houve crescimento acumulado de 4,55% em vendas de títulos, o equivalente a aproximadamente 1,8 milhões de exemplares.

Ismael Borges, gestor da Nielsen Bookscan Brasil, afirma que o crescimento do setor é real, fruto do trabalho e dedicação do mercado livreiro e de uma baixa na inflação do último ano. “O aumento de 6,15% é o maior, em termos absolutos, dos últimos três anos. No ano passado, esse percentual foi, inclusive, negativo (-3,09%)”, destacou Borges.

O gestor ainda ressaltou que em 2017 – diferentemente de 2015, em que houve um “boom” dos livros coloridos – não houve nenhum fenômeno editorial, seja em termos de autor, seja em termos de gênero. “O que vemos no estudo é que houve um crescimento de vendas sólido e regular ao longo dos meses. É sustentável em função de um trabalho regular do mercado livreiro”, avalia.

Outro ponto de destaque diz respeito ao International Standard Book Number (ISBN), sistema que identifica numericamente os livros segundo o título, o autor, o país e a editora. Entre 2016 e 2017, houve um acréscimo de 17,83% na procura por ISBN diferentes. “Isso significa que houve crescimento de livros que não haviam sido comercializados no ano anterior, tanto em termos de lançamentos, quanto de livros antigos, que voltaram a ser vendidos”, pontuou.

A escritora Ana Miranda, agraciada pela Ordem do Mérito Cultural em 2017, destaca que o crescimento apontado pela pesquisa é bom não só para escritores e para o mercado, mas para o País. “Tenho sentido que o livro está tomando uma força maior e quanto maior o movimento de leitura, melhor. O povo de um País precisa aprender a ler livros para aprender a ler o mundo”, afirmou.

Sobre a pesquisa

O objetivo da criação do Painel é dar mais transparência à indústria editorial brasileira. Para a realização do estudo, os dados são coletados diretamente do “caixa” das livrarias, e-commerce e varejistas colaboradores. As informações são recebidas eletronicamente em formato de banco de dados. Após o processamento, os dados são enviados online e atualizados semanalmente. Nielsen Bookscan é o primeiro serviço de monitoramento de vendas de livros no mundo. O SNEL divulga o Painel das Vendas de Livros no Brasil a cada quatro semanas.