Ministério da Cidadania incentiva criatividade de jovens do Brasil

Publicado em 30 de setembro de 2019

Por meio do edital #amorpeloBrasil, cerca de R$ 2 milhões em prêmios serão distribuídos para mais de 350 vídeos. Ideia é revelar talentos por trás da câmera do celular

 

Luz, câmera, ação! Chegou a hora de jovens de todo o País entrarem em cena para mostrar o seu produto audiovisual. O edital #amorpeloBrasil vai premiar 351 vídeos produzidos com celular por jovens de 12 a 18 anos de todos os estados do Brasil e do Distrito Federal. A principal regra é: os vídeos inscritos devem contar histórias de iniciativas que contribuam para a melhoria da qualidade de vida da sociedade – seja em casa, na escola, na comunidade. As premiações variam entre R$ 3 mil e R$ 20 mil. No total, serão mais de R$ 2 milhões destinados aos vencedores. As inscrições podem ser feitas até o dia 12 de novembro no site do edital.

A produtora cultural Roberta Bandeira, de 22 anos, apoia a iniciativa. Ainda na adolescência, ela começou a produzir vídeos de forma amadora, com as colegas. Atualmente, Roberta cursa Produção Cultural na Universidade Federal do Rio de Janeiro, no campus de Nilópolis, e já trabalha na produção de séries e filmes. Segundo ela, esse tipo de premiação é extremamente importante para incentivar um possível início de carreira na área. “A gente tem as ideias mas, às vezes, é preciso algo a mais para apoiar, pois nem sempre temos recursos. Então, é sempre bom ter essas iniciativas para incentivar a galera mesmo”, comenta.

O prêmio foi idealizado pela Secretaria do Audiovisual (SAv) do Ministério da Cidadania para encorajar os jovens a exercitar sua criatividade. O secretário do Audiovisual, Ricardo Rihan, aponta que nesta faixa etária os jovens são muito criativos e o prêmio tem o objetivo de estimular, reconhecer e premiar estes talentos. O secretário ainda destaca que as condições atuais são bastante propícias para a produção. “O diretor Glauber Rocha dizia que, para se fazer cinema, bastava ter uma ideia na cabeça e uma câmera na mão. Hoje, basta ter uma ideia na cabeça e um celular na mão”, conclui.

Continue lendo essa matéria.

Fonte: www.cultura.gov.br