Pontos de Cultura Indígena documentam práticas culturais

Publicado em 25 de Abril de 2018

O projeto Memória Viva Indígena, iniciativa da ONG Thydêwá em parceria com comunidades indígenas do Nordeste e os ministérios da Cultura (MinC) e dos Direitos Humanos (MDH), lançou uma compilação com 67 vídeos etnográficos produzidos a partir do registro de práticas de mais de 100 indígenas ligados a oito Pontos de Cultura dos estados de Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia. Nos vídeos, é possível conhecer tradições indígenas por meio de temas como culinária, ervas medicinais, bebidas sagradas, música, cerâmica tradicional e artesanato, entre outros.

Disponíveis on-line no endereço www.indiosonline.net/memoriaviva, os vídeos, com duração de 3 a 15 minutos, serão distribuídos, em formato DVD, a diversas aldeias indígenas da região Nordeste. O material visa fortalecer as relações que valorizam os saberes e as trocas de conhecimentos entre os povos indígenas, além de preservar e projetar saberes tradicionais.

Para realização do DVD, uma equipe interdisciplinar realizou, nas comunidades indígenas, dinâmicas e oficinas que aproximaram as gerações com o objetivo de valorizar seus conhecimentos e salvaguardar seus patrimônios. Esses vídeos estão sendo utilizados pelos Pontos de Cultura e por escolas indígenas das localidades contempladas para fortalecer atividades educacionais. Além disso, anciões e jovens indígenas estão participando de rodas de conversa nas comunidades, apresentando os filmes e dialogando com os alunos.

Participaram do projeto o Ponto de Cultura da Aldeia Trambuco – Povo Pataxó (Porto Seguro); Ponto de Cultura da Aldeia Milagrosa – Povo Pataxó Hahahãe (Pau Brasil); Ponto de Cultura da Aldeia 2 Irmãos – Povo Pataxó (Cumuruxatiba – Prado); Ponto de Cultura Tupinambá (Olivença- Ilhéus) – todos os localizados na Bahia; Ponto de Cultura Pankararu (Tacaratu – Pernambuco),  Ponto de Cultura Kariri Xocó (Porto Real do Colégio – Alagoas), Ponto de Karapotó Plaki-ô (São Sebastião – Alagoas) e Ponto de Cultura Xokó (Porto da Folha – Sergipe).

Continue lendo essa matéria.

Fonte: http://www.cultura.gov.br